Roer as unhas: como ajudar seu filho a perder esse hábito

Tempo de leitura: 5 minutos

roer as unhas-instituto-cris-poli

Seu filho começou a roer as unhas e tornou essa atitude um hábito? Descubra como ajudá-lo nesta fase!

A infância é um período de muitas descobertas e, como tal, exige muito das crianças. Nesta fase, a criançada ainda está se conhecendo e descobrindo, aos poucos, como enfrentar os desafios diários. Por este motivo, é comum que comecem a sentir ansiedade e insegurança.

Diante de sentimentos como esse, cada criança busca uma “válvula de escape” diferente, com o objetivo de se distrair e buscar por momentos de calma. Enquanto algumas desenvolvem hábitos como enrolar os cabelos ou balançar as pernas, outras começam a roer as unhas como uma forma de tentar amenizar as tensões típicas do dia a dia.

Quando esse hábito começa, é normal que chame a atenção dos pais e eles fiquem perdidos em relação a como agir. Se seu filho rói as unhas quando está em repouso ou situações estressantes e se ele não se machuca, é indicativo de ser apenas um hábito desenvolvido para amenizar inseguranças e desconfortos em situações de estresse.

Nesse caso, conforme for crescendo e desenvolvendo novas habilidades para lidar com os desafios cotidianos, esse hábito será amenizado e até mesmo vai desaparecer. Entretanto, se você perceber que ele está roendo as unhas frequentemente e em uma intensidade cada vez maior, ao ponto de os dedos estarem sempre machucados, é hora de buscar alguns cuidados e ajudar a criança a se livrar de uma vez desse hábito.

Como? Continue lendo para descobrir.

  • A origem de tudo

Antes de cortar o “mal pela raiz”, é de extrema importância investigar a causa do problema. Para isso, observe se a criança sofre com ansiedade, estresse ou timidez em algumas situações. A partir daí, é possível identificar se há algum transtorno.

  • Abra um canal de diálogo com a criança. Converse sobre os desafios e a insegurança que ela anda sentindo no dia a dia

Verbalizar é fundamental nesse caso. Por isso, quando a criança consegue falar sobre suas experiências e é acolhida pelos pais após fazer isso, ela encontra o apoio de que precisa para sentir-se mais segura diante de novidades e desafios. Ao sentir segurança, é provável que o hábito de roer unhas cesse.

No entanto, nem sempre é simples ajudar a criança a se comunicar e se abrir dessa forma. Muitas vezes, quando o rumo da conversa fica mais amplo e abstrato, é possível que ela “trave” e não se desenvolva. Por isso, a dica para que a conversa flua de forma natural até que você consiga fazer a criança se abrir e compartilhar suas experiências é fazer perguntas mais detalhadas e concretas.

Nada de “Como foi seu dia? Alguma novidade? “, pois costumam ser respondidas de forma monossilábica. Experimente: “O que você aprendeu na aula de Artes hoje? Podemos colocar o que a professora ensinou em prática. Que tal?” Assim, além de você ajudar o seu filho a externar o que ele está sentindo por meio de uma atividade lúdica, ele pode se sentir mais à vontade para se abrir.

  • Criatividade é a chave de tudo

Essa dica, na verdade, é um complemento da anterior. Ajudar seu filho a expressar inseguranças e medos de modo criativo é uma ótima maneira de a criança deixar o hábito de roer unha de lado. Por isso, sugira brincadeiras, desenhem juntos, cantem, dancem… Mantenham-se em movimento.

Essa é uma boa hora de incentivá-la a tocar um instrumento musical, por exemplo. Com um hobby, é muito mais fácil externar sentimentos negativos, além de contribuir para o aumento de sua autoestima. Com o tempo, o hobby tem tudo para se tornar uma “válvula de escape” muito mais produtiva e construtiva do que o hábito de roer unhas, não é mesmo?

  • Esqueça o castigo

Em hipótese alguma puna a criança por ela roer as unhas. Nada de gritos, palmadas, ameaças e muito menos colocar substâncias ardidas nas unhas dela. Além de serem medidas desproporcionais, dificilmente o problema será resolvido. Esse é um hábito muitas vezes inconsciente e formas de punição só irão pior tudo. Ao invés de partir para os castigos, que tal conversar com a criança e deixar claro o que esse vício pode causar?

  • Estimule e dê credito aos pequenos avanços da criança

Largar um hábito não é tarefa para um dia ou uma semana. Tenha isso em mente. Sendo assim, é muito importante que os pais reconheçam os pequenos avanços da criança e a estimulem a continuar.

Você pode criar um “programa de recompensas”: a cada dia sem roer as unhas, seu filho ganha uma estrela. Quando houverem cinco estrelas, por exemplo, ele recebe um prêmio: um passeio, um lanche ou qualquer outro tipo de programa que saia da rotina.

  • Seja observador(a)

Em que momento a mania fica mais intensa? Na hora da lição? Antes de ir à escola? Em momentos em que não há nada para fazer? Observe os detalhes. Seja observador(a).

Desse modo, você consegue identificar os chamados “gatilhos de hábito” e fica mais fácil encontrar uma solução eficiente para o problema.

  • Ajude a criança a ter consciência da mania de roer as unhas

Como explicado anteriormente, esse tipo de mania se torna inconsciente após algum tempo. Dessa forma, ajudar com que a criança perceba o que está fazendo pode ajudá-la a parar. Experimente colocar band-aid colorido e com personagens na ponta dos dedos. Isso faz com que as crianças reparem mais nas mãos.

  • Busque orientação profissional

Nem sempre é possível curar alguns hábitos apenas com dicas. Muitas vezes, uma boa alternativa é procurar um profissional que possa orientá-lo(a) melhor sobre como agir em casos como esse.

A ajuda profissional também pode ser útil se a causa do hábito de roer as unhas está relacionada a problemas com os quais a criança esteja passando e você não saiba lidar.

Seu filho costuma roer unhas? Como você lidou com o problema? Deixe sua opinião aí nos comentários.

Siga-nos em nossas redes sociais para não perder nenhum conteúdo.

Facebook
Instagram
YouTube

Instituto Cris Poli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *