Jardim de infância: por que é importante para o desenvolvimento da criança?

Tempo de leitura: 5 minutos

jardim de infância-instituto-cris-poli

A entrada no jardim de infância é um divisor de águas na vida de qualquer criança. Entenda os porquês e seja parceiro(a) do seu filho nesta nova fase.

Aprender brincando. Tem coisa melhor do que isso? Para os pequeninos, a entrada no jardim de infância representa uma grande novidade; para alguns  pais, porém, a ideia de que seu “bebê” já não é mais tão bebê assim é um tanto quanto assustadora.

Mas, independentemente do que a nova configuração na rotina do filho represente para os pais, estar em contato com outras pessoas – tanto crianças quanto adultos – é bastante significativo para o desenvolvimento das crianças no geral. Um verdadeiro divisor de águas, pode-se dizer.

Seu filho está prestes a dar este novo passo e você ainda está com algumas dúvidas, como: o que esperar do jardim de infância, sua importância, qual a melhor escolinha e como escolher? Fique conosco e sane todas elas. Vamos lá?

Qual a idade certa para colocar seu filho no jardim de infância?

Não existe uma resposta única para essa pergunta, pois as crianças possuem desenvolvimentos únicos. Sendo assim, a idade ideal para enviar seu filho para o jardim de infância varia.

De todo modo, a partir dos 2 anos a criança – em plena fase de socialização – já pode ser inserida no jardim de infância, que nesta fase é mais para socialização do que por qualquer outro motivo. Lá, ela deve ficar até por volta dos 5 anos, período em que já pode começar a ser alfabetizada.

Qual a importância do jardim de infância para o desenvolvimento da criança?

Quando uma criança entra no jardim de infância, um mundo totalmente novo se abre diante de seus olhos. Nesta fase, o processo de desenvolvimento infantil está a todo vapor e a escolinha é fator determinante para que a criança continue se desenvolvendo de forma saudável por meio da socialização e o processo de aprendizagem no geral. Processo esse, inserido sem pressa e de forma lúdica, respeitando os limites e o tempo de cada criança.

Durante esta fase, a proposta é uma só: aprender brincando. Como? Através da música, arte, brincadeiras, contação de histórias e tantas outras atividades que contribuem para que a criança se sinta importante dentro de um contexto. A partir daí, “molda-se” um ser humano (mais) seguro, criativo, sensível e apto para ir com tudo para o mundo.

Quais critérios levar em consideração na hora de escolher a escolinha?

Sem dúvida, este é o tópico de maior importância. Do ensino público ao privado, o mais importante na hora de escolher a escolinha do seu filho é a pesquisa. Pesquise a fundo:

  • Projeto de ensino;
  • Reputação (item mais importante, ao nosso ver);
  • Atividades oferecidas por cada instituição;
  • Organização pedagógica.

E tudo o mais que considerar necessário. Não se esqueça que o que está em jogo é a educação e o desenvolvimento do seu filho. Portanto, exija mesmo o melhor de cada instituição!

Dicas de como passar por esse processo de forma mais tranquila

Embora existam diversas vantagens, o ingresso no jardim de infância nem sempre é um processo fácil para crianças e pais. Algumas dicas, no entanto, podem ser úteis e tornar esse processo mais simples:

  • Defina uma rotina

Uma vez escolhida a instituição, é hora de montar o braço direito de todos os pais e grande aliada: a rotina. Faça assim: defina horários para acordar, almoçar e assim por diante. O ideal é iniciá-la um mês antes de o jardim de infância começar para que a adaptação da criança aos novos ritmos seja mais simples e proveitosa.

  • De olho na insegurança

A nova fase pode ocasionar inseguranças de ambos os lados: seu e do seu filho. Sendo assim, o ideal é não demonstrar a sua insegurança à criança. Transpasse confiança e evidencie todos os pontos positivos do novo ciclo.

  • Confie na sua escolha

Entendemos que a maior insegurança para os pais diz respeito a quem estará cuidando do seu filho. Se esse for o seu caso, acalme-se. Além de as instituições de ensino contratarem apenas profissionais credenciados que saberão conduzir a criança muito bem, você fez uma árdua pesquisa sobre qual era a melhor opção para o seu filho, então, confie no seu taco.

  • Conheçam as instalações

Façam uma visita à instituição antes de as “aulas” começarem. Se possível, leve a criança junto. Durante o tempo em que estiverem na escolinha, deixe-a conhecer os espaços e as pessoas, pois facilita muito a ambientação.

  • Permita que seu filho leve o “amiguinho”

Crianças costumam ter um “amiguinho” para dormir – fralda de pano, boneco, cobertor etc. – que passam a sensação de segurança à criança.

Deste modo, caso seu filho também tenha um, permita que nos primeiros dias da nova rotina ele o leve para o jardim de infância. O objeto tem um papel fundamental, pois é um forte elo de ligação com os pais e o seu ambiente.

  • Entregue seu filho de forma progressiva

Não deixe seu filho totalmente entregue nos primeiros dias. No primeiro dia, por exemplo, veja com a diretoria se é possível ficar na escola – não necessariamente ao lado da criança. Busque-o mais cedo também. Dessa forma, ele será integrado no ambiente escolar aos poucos, sentindo-se seguro e vendo que sempre que precisar, você fará o que puder para estar junto.

  • Converse com seu filho sobre a nova experiência

Que tal puxar papo com a criança sobre como está sendo essa nova experiência? (Mesmo que ela seja pequenininha, tipo 2 ou 3 anos). Peça a ela para contar como está sendo a interação com os coleguinhas, o que fez e se já tem uma atividade preferida. Caso haja pontos negativos, não ignore, mas reforce sempre os pontos positivos.

Seu filho já está no jardim de infância? Como está sendo essa experiência? Diga pra gente aí nos comentários.

Siga-nos em nossas redes sociais para não perder nenhum conteúdo.

Facebook
Instagram
YouTube

Instituto Cris Poli

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *